Colheita de trigo ganha ritmo e chega a 28% da área total no RS

Avanço de 19 pontos percentuais foi possível em razão do tempo seco

Divididos entre a colheita da safra de inverno e o plantio de verão, produtores do Rio Grande do Sul aproveitam as janelas de oportunidade que surgem para cada uma dessas etapas. Com o tempo favorável, as máquinas aceleraram nos trigais, com o percentual de área colhida chegando a 28%, aumento de 19 pontos percentuais em relação à semana passada, aponta levantamento da Emater. Ainda assim, se mantém abaixo da média para o período, que é de 44%.

Nos locais em que as lavouras são plantadas mais cedo, a velocidade é maior. José Vanderlei Waschburger, gerente regional da Emater de Santa Rosa, observa que, em municípios próximos, a colheita chega a 70%. Nas Missões, alcança 40%, com o tempo seco e o calor antecipando um pouco o trabalho e áreas por colher.

— Andou, todo mundo está satisfeito com o ritmo de colheita. Não há, até o momento, relatos de produtividades muito elevadas. Mas, o Estado terá produção acima de 2013 em razão do aumento de área, e o produto tem qualidade — acrescenta Paulo Pires, presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado (Fecoagro-RS).

O volume de 2013, de 3,35 milhões de toneladas, é o recorde que poderá ser batido nesta safra. Depois de sete anos, a área voltou à casa do milhão, somando 1,18 milhão de hectares.

Pires observa uma outra particularidade do ciclo atual. Com produção maior, abre-se oportunidade para a exportação. Ele estima quase 1 milhão de toneladas com contratos.

Na ponta da safra de verão, a soja chega a 5% dos 6,33 milhões de hectares estimados.